ÊXTASE

Outubro 17, 2009

Dossierpromo extase

Anúncios

Outubro 17, 2009

fotosinopse

 

 

 

ÊXTASE é um espectáculo de dança inspirado em “Spectrum of Ecstasy”, uma obra de Ngakpa Chogyan e Khandro Dechen que aborda as 5 emoções da sabedoria do Budismo Vajrayana.

Dividida em 5 partes, ÊXTASE transpõe para o universo contemporâneo 5 estações, 5 cores luminosas que representam: Água, Terra, Fogo, Vento e Espaço. Desta forma, passando por diversos estados de consciência, da luz à escuridão, do vazio à forma, do sonial ao real, ÊXTASE propõe simples e directamente, experienciar um contacto verdadeiro e emocional, onde se confrontam a esfera da percepção e da realidade.

Para ilustrar este espectáculo Carolina Fonseca busca uma linguagem que conjuga a tradição e a contemporaneidade, e encontra no corpo de baile uma estética sonora e visual muito singulares.

FICHA ARTÍSTICA

Outubro 17, 2009

CRIAÇÃO/DIRECÇÃO CAROLINA MORAIS FONSECA

VÍDEO, IMAGEM E EDIÇÃO ALEXANDRA AFONSO, NOÈLLEGEORG, TIAGO ANGELINO E TIAGO PEREIRA

DESENHO E OPERAÇÃO DE LUZ JOCHEN PASTERNACKI

SONOPLASTIA ANDRÉ TERESINHA

CENOGRAFIA SÉRGIO SCIAMMARELA

GUARDA-ROUPA TEODOLINDA SEMEDO

FOTOGRAFIA PAULIANA VALENTE PIMENTEL

INTERPRETAÇÃO

CAROLINA MORAIS FONSECA

GUILHERME DA LUZ

MÓNICA RONCON

TATIANA LIMA BONANÇA

CO-PRODUÇÃO CENTRO CULTURAL MALAPOSTA / CAROLINA MORAIS FONSECA

ANO DE CRIAÇÃO 2009

ÊXTASE – VÍDEO PROMOCIONAL

EXTASE from Tiago Pereira on Vimeo.

CONTACTOS PRODUÇÃO

Carolina Morais Fonseca | caroldiversa@hotmail.com | 916 958 660

http://www.DANZA DUENDE.org

CAROLINA MORAIS FONSECA

Outubro 17, 2009

biocarolinafonseca

Nascida em Lisboa, CAROLINA MORAIS FONSECA inicia aos cinco anos de idade a prática da ginástica acrobática e rítmica, que mantém até aos onze.

Desde 2000 que se tem consagrado ao ensino, destacando-se projectos de formação Duende em Milão, Bolonha, Madrid, Barcelona, Sevilha, Liubliana, Berlim, Irlanda, Lisboa e Porto, entre outras.

Actualmente Carolina integra a Companhia «Salamantras» dirijida por Myriam Szabo  e a Companhia de Danças Ciganas «Palinka» dirigida por Mónica Roncon.

Iniciou o seu enorme interesse pelas danças ciganas do mundo sob a orientação de Myriam Szabo. Complementou a sua formação com o ucraniano Pétia Iourtchenko, no domínio das danças ciganas Russas e da Europa Central, fez várias formações na Índia, na região de Rajastão na Transilvania, em Budapest e na Turquia, onde contactou directamente com famílias milenares ciganas e grandes mestres.

No âmbito das danças ciganas, performou como bailarina e coreografa com: Fanfare Ciocarlia, Taraf de Haidouks e Roby Lacatos (CCB).

Residiu em Bruxelas entre 2005 e 2008, onde se dedicou ao estudo e ensino da dança Duende enquanto assistente de Myriam Szabo. Prosseguiu os seus estudos de ballet clássico e dança contemporânea com criadores de renome, trabalhou igualmente com o grande mestre japonês Masato Matsuura em “ Teatro Nô”. Participou, como bailarina solista na peça de teatro, ”Les Forberies de Scapin”, de Molière, no teatro Lês Martyr (Bélgica/Bruxelas – 2007).

Actualmente Carolina Reside em Lisboa, sua terra Natal.

GUILHERME DA LUZ

Outubro 17, 2009

bioGuilherme da Luz

Kung-fu – estilo Toa e Lótus – artes marciais Iranianas

GULHERME DA LUZ foi autodidacta até 1978, ano em que inicia o treino intensivo do Kung-Fu na Escola do Dragão Vermelho, pertencente à Internacional de Kung-Fu, em Lisboa. A partir de 1980 dedica-se à prática do Kung-Fu na sua vertente vietnamita e chinesa, com diferentes mestres. Em 1983, a descoberta do Kung-Fu Toa de origem persa marca um ponto de viragem e uma transformação profunda na sua abordagem a esta arte marcial, debruçando-se intensivamente no estudo deste estilo.

Em 1985 inicia a sua carreira como professor desta arte, criando e desenvolvendo cinco anos mais tarde a sua própria linguagem: uma visão alternativa do Kung-Fu orientada para o homem contemporâneo, com uma forte vertente aquariana, denominado Kung Fu Lótus.

Para Guilherme, o elemento mais importante do ensino é a comunicação, para a evolução de um Kung Fu vivo e orgânico, e o enriquecimento do ser humano, fazendo a ponte com outras artes, ciências e filosofias, nomeadamente a música, a meditação, a expressão criativa pessoal e a pintura.

Guilherme considera-se como um eterno viajante no caminho do Kung Fu, percorrendo as dimensões da vida ao som de uma música cósmica e espacial.

MONICA RONCON

Outubro 17, 2009

biomonicaroncon

Coreógrafa e bailarina de dança Romani

MÓNICA RONCON tem uma formação de base de flamenco e ballet clássico espanhol, que inicia em 1991. A partir de 1998, começa a expandir a abordagem ao movimento, formando-se em diferentes disciplinas, como o movimento contemporâneo, a dança oriental, o ioga e as artes marciais. Em 2002, retoma o estudo da dança como interpretada pelo povo Cigano. Inicia um trabalho de pesquisa, que a leva a viajar por França e Europa do Leste. É um caminho em constante evolução, em que destaca como orientadores Myriam Szabo e Pétia Iourtchenko.

Foi membro fundador das Zambra, primeira companhia portuguesa de dança oriental de fusão, e bailarina convidada nas companhias Rosario Peinado (Espanha) e Adelante (França). Actualmente, dedica-se às formações PálinkaCompanhia de Danças Ciganas e SalamantrasCompanhia de Danza Duende, corpo de baile da Danza Duende, projecto em que participa desde a sua criação, em 2000. Neste âmbito ministra workshops e apresenta espectáculos de Free e Gypsy Duende em diferentes países da Europa.

TATIANA LIMA BONANÇA

Outubro 17, 2009

biotatiana

Bailarina – Ballet Clássico e Bharata-Natyam

Nascida num ambiente familiar de Bailarinos, TATIANA LIMA BONANÇA iniciou a sua formação artística com apenas 3 anos frequentando aulas de Ballet no Instituto Piaget. Após as aulas de Ballet no Conservatório Regional do Algarve com a Prof. Maria João Peres em 2001, continuou a sua formação, tendo como mestres:  Natália Abramova (Ballet),  Angelika Makarova (Ballet), Evgani Beliaev (Dança Contemporânea), Elena Vallis (Ballet), Pedro Romeiras (Ballet), Irina Stupina (Ballet), Roman Vassilieve (Ballet), e Tarikavalli (Bharatanatyam). Fez vários Workshops de Ballet, Dança Contemporânea, Graham, Hip-Hop e Bharatanatyam, em  locais como o Conservatório Regional do Algarve, Escola Superior de Dança, e EDCN, aprendendo com nomes como: Evgani Beliaev, Inessa (?), Alexandre Chichkin, Alla (?), Carlos Caldas, Marina Melnikova, Natalia Iananis, Tatiana Mingaliova, Turbo, Miriam Barbosa, Itelvina Loureiro, Catarina Moreira, Tarikavalli.

Vencedora por duas vezes do Concurso Dançarte na Categoria de Grupo  em Dança Contemporânea, e a solo no mesmo concurso em 2007. Mais tarde toda a familía foi entrevistada por António Laginha por ocasião do Dia Mundial da Dança. Foram então convidados por diversas vezes para actuar na televisão. Foi convidada ainda para actuar em locais como a Escola Swastia Yoga em Faro, Fabrica da Pólvora em Sintra, em casa da Embaixatriz da Finlândia por ocasião do aniversário da mesma, e ainda no Festival dos Descobrimentos em Lagos. Também no Teatro Amador mostrou todo o seu talento e versatilidade actuando numa Revista à Portuguesa nos Combatentes em Lisboa, tendo como encenador Flávio Gil.

TARIKAVALLI

Outubro 17, 2009

tarikabioEntre 1989 e 1997, Tarikavalli recebeu uma rigorosa formação em Bharata-Natyam, no estilo Pandanallur em Paris, com Shirimati Amala Devi, discípula e parceira de cena de Shri Ram Gopal, ele próprio principal sicipulo de Shri Meenakshi Sundaram Pillai.

Este Mestre, que é hoje uma figura lendária da dança, foi descendente directo da família dos quatro irmãos Tangore, que instituiram no século XVIII o recital a solo de Bharata-Natyam, fixando as regras que ainda hoje constituem a grande referência para os bailiarinos deste estilo.

Hoje em dia, Tarikavalli está radicada em Lisboa, onde continua a sua carreira de bailarina solista, dedicando-se igualmente ao ensino. Ministra ateliers para crianças e adultos em Portugal e noutros países da Europa no âmbito de encontros interculturais. Em Lisboa, tem vindo a trabalhar com o grupo Ekvat, companhia de danças tradicionais goesas (Casa de Goa). Iniciando-o no estilo clássico da India, e ainda com as suas alunas regulares do Centro de Dança de Oeiras (Algés).

O Mundo do Bharata-Natyam e o seu mestre U.S. Krishna Rao, descobriram nela uma virtuosa! A sua técnica inspira-se tanto na mente como na emoção. Um dinamismo latente habita o seu mais pequeno gesto, mesmo o mais estático. Quando adopta uma pose de meditação e os seus olhos se fecham, podemos aperceber, numa mesma impressão calma e energia – uma energioa concentrada, alerta, pronta a jorrar. É a marca incontestável de uma grande artista.

FORMAÇÕES

Outubro 17, 2009

formações

Possibilidade de actividades complementares de formação em Kung-Fu, Dança Duende e/ou Dança Criativa, para um público especialista ou generalista, em condições a acordar, em função do tempo de formação e do grau de ensino (iniciados/intermédios/avançados).

DANÇA DUENDE e DANÇA CRIATIVA | Carolina Morais Fonseca | adultos e crianças

KUNG-FU (lótus e toa) | Guilherme da Luz | adultos